Éramos tão jovens

éramos tão jovens...
e a imaginação na rua,
as palavras tolas que trocávamos,
o doce luar acima de nossas cabeças
os passeios e os castelos de areia,
os beijos nos machucados,
as orações para as padroeiras,
tudo isso e um pouco mais:
nos bastava.

crescemos tão velhos,
ranzinzas e azedos,
qualquer motivo se acaba em discussão,
toda dor nos quebra o coração,
o sol já não brilha o suficiente,
as palavras já não são o bastante,
olhamos para a vida e não enxergamos nada.
hoje em dia, nada nos basta.

quando velho quero ser jovem,
mas se velho for jovem
com cabeça de velho não apreciará nada…
nada me basta.

pois é, sim... nada me basta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s